Booger Network

Sobre a Rede

Booger Network é uma compilação de blogs dispostos em diversas categorias. Estamos em fase de expansão e em breve teremos mais blogs e diferentes categorias.

Anuncie

Integer erat orci, congue sed feugiat eu, pharetra in tellus. Nulla vel est et mi fermentum ullamcorper at a justo. Fusce scelerisque nisi vehicula mauris placerat quis accumsan dolor adipiscing. Donec tempus, nibh ut volutpat fermentum, mauris sem imperdiet ante, at dignissim magna tortor in dui. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.

Contato

Blogueiros

Praesent ac elit metus. Ut sed sem nec lorem fringilla molestie a vel risus. Phasellus a commodo felis. Praesent at libero velit.

Leitores

Donec facilisis, sapien ut elementum faucibus, justo urna dignissim sapien, vel elementum lorem est euismod nisi.

Anunciantes

Fusce vitae nunc mi, quis faucibus orci. Nam id lorem justo. In arcu lectus, commodo eget pharetra sed, rutrum quis sapien.

A verdadeira versão dos ditos populares por Prof. Pasquale.

por em 23/03/2010 às 8:00

CURIOSIDADES

pasquale

Dito popular 1: ‘Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho carpinteiro’
“Minha grande dúvida na infância… Mas que bicho é esse que é carpinteiro, um bicho pode ser carpinteiro???”
O correto é: ‘Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro’

Dito popular 2: ‘Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão.’
Se a batata é uma raiz, ou seja, nasce enterrada, como ela se esparrama pelo chão se ela está embaixo dele?”
O correto é: ‘ Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão.’

Dito popular 3:’Cor de burro quando foge.’
“Esse foi o pior de todos! Burro muda de cor quando foge??? Qual cor ele fica??? Porque ele muda de cor???” Eu queria porque queria ver um burro fugindo para ver a cor dele! Sério!
O correto é: ‘Corro de burro quando foge!’

Dito popular 4: Outro que no popular todo mundo erra: ‘Quem tem boca vai a Roma.’
“Bom, esse eu entendia, de um modo errado, mas entendia! Pensava que quem sabia se comunicar ia a qualquer lugar!”
O correto é: ‘Quem tem boca vaia Roma.’ (isso mesmo, do verbo vaiar).

Dito popular 5: ‘Cuspido e escarrado’
Quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa. “Esse… Sei lá!”
O correto é: ‘Esculpido em Carrara.’ (Carrara é um tipo de mármore) -

Dito popular 6: ‘Quem não tem cão, caça com gato.’
“Entendia também, errado, mas entendia! Se não tem o cão para ajudar na caça o gato ajuda! Tudo bem que o gato só faz o que quer, quando quer e se quer, mas vai que o bicho tá de bom humor!”
O correto é: ‘Quem não tem cão, caça como gato…. ou seja, sozinho!’

Agora me diz: Vai dizer que você falava corretamente algum desses?

114 Comentários

  1. TGW disse:

    8O isso acaba com tudo o q eu acreditei em todos os meus anos de vida

    num faço quesão,mas first!!!

    1. Rafael disse:

      Eu não sei aonde tiraram que quem falou isso foi o Pasquale, não foi.
      Talvez usem o nome dele para dar credibilidade a alguns desses ditos que na verdade estavam corretos, como o do Vai a Roma e não Vaia a Roma.

      Esse dito popular é comum em várias línguas e não só no Português e em todos eles se usa o termo de Vai a Roma (de IR mesmo).

      Os outros eu não sei.

      1. Smoke One disse:

        Quais foram suas fontes de pesquisa?

      2. ricklim disse:

        carai!
        esculpido e encarnado, esculpido em carrara ou cuspido e escarrado; estao em duvida??? usem… cara de hum focinho do outro …. quando hum burro ou qualquer outro bicho foge nao esta mais no lugar portanto nao se consegue saber ou identificar qual a cor… geralmente se diz isso quando alguem esta passando mal ..ficando sem cor… esparramar e espalhar??? nao sao sinonimos?? e assim sendo nao mudam a sentença… quem tem boca vai a roma ou vaia roma??? se nao for mudo!!! todos nascem com boca mas nem todos chegam onde querem… quem nao tem cao caça com gato se diz quando alguem nao tem a ferrameenta certa pra realizar determinado tipo de trabalho e tem que adaptar alguma outra coisa pra se realizar o mesmo trabalho ou seja se o camarada vai caçar com o gato ou como hum gato tanto faz o importante é realizar a tarefa…. será que errei em algum deles na visao dos professores e admiradores dos textos???

      3. Rafael você esta correto, esta lista é falsa o Pasquale cansa de falar isto, não foi ele quem fez isto. E é tudo mentira.

      4. BITCH PLEASE

        Cara, existe sentido em vai a roma?
        Se tiver quero que voce me explique o ditado entao ” quem tem boca vai a roma” por favor, estarei aguardando pacientemente a sua resposta.
        E outra, ”vaia” roma tem conceito historico, dai surgiu o ditado.

      5. felipe disse:

        você já ouviu a frase: “todos os caminhos levam à roma”? É por causa disso q o ditado é vai a e n vaia. Por q roma era um império enorme e teoricamente seria fácil chegar lá perguntando

      6. Amanda disse:

        Felipe, você está certíssimo. Maluco Beleza, Roma foi um Imperio enorme que tomou quase toda a Europa, parte da Asia Ocidental e Norte da Africa. Não sei se é verdadeira a expressão “Quem tem boca vai a Roma” ou se é “Vaia Roma”. Mas as duas expressões teriam logicas se ditas, dependendo do contexto.

      7. É ‘vaia’ mesmo. Na época Roma era tida como uma cidade horrível.

      8. kelly disse:

        Estes ditos acima o próprio Pasquale foi falar em uma emissora. eu assisti.

      9. Edu disse:

        Quem tem boca vai a roma. Segundo Pasquale Cipro Neto: “esse provérbio em espanhol? Lá vai: “Preguntando se llega a Roma”. Não é preciso traduzir, é? Sabe como é em italiano? Lá vai: “Chi ha (la) lingua arriva a Roma” (“Quem tem [a] língua chega a Roma”).
        Bem, a esta altura, alguém pode estar achando que os provérbios necessariamente se explicam pela lógica da frase, pela história da língua ou da humanidade, o que não é verdadeiro. Qual seria a explicação “lógica” para o dito “Por fora, bela viola; por dentro, pão bolorento”? Nenhuma, creio. E quem disse que isso é necessário ou fundamental? O fundamental, nesse caso, além do aspecto lúdico, sonoro, chistoso etc., é que quem tem um tostão de senso de abstração capta logo o sentido desse dito, por sinal muito parecido com o de outros, igualmente conhecidos (“As aparências enganam”; “Lobo em pele de cordeiro” etc.).”

      10. @IgorMaceddo disse:

        Nada ver sua teoria. “Quem tem Boca vaia Roma” é uma expressão feita em base da Roma Antiga, que, em uma época q a população de Roma não estava satisfeita com seus Reis, e por sua vez, usaram suas vozes para Protestar. Ou seja, a expressão significa q Quem tem Boca pode Protestar ou Questionar algo q nao lhe agrada.

      11. QUEM TEM BOCA VAI A ROMA?
        Esse é um velho ditado popular. Ditado como o próprio nome diz é a expressão que através dos tempos se mantém imutável, aplicando exemplos morais, filosoficos e religiosos.
        Mas trabalhando o conteúdo sobre Roma nos seus períodos históricos e na sua organização social e politica, nos deparamos com o velho adágio: quem tem boca vai a Roma!
        É bastante comum em nosso dia a dia a expressão “quem em boca vai a roma!”
        Contudo não era bem assim… a expressão correta é:QUEM TEM BOCA VAIA ROMA! e se refere aostempos em que Roma era governada por Júlio César.
        Naquela época ninguem podia expressar sua opinião, ainda mais se fosse contraria a do tão poderoso Imperador, portanto Roma merecia por parte da Plebe e Escravos uma: vaia….
        E eu pergunto: a história mudou? a liberdade de imprensa no Brasil é respeitada? nos orgãos públicos temos a liberdade de falar o que pensamos?
        Aos poderosos que tentam calar a imprensa e os comunicadores no país uma Vaia! fonte: http://sociologiaemtela.blogspot.com.br/2011/03/quem-tem-boca-vai-roma.html

      12. Paolo disse:

        Engraçado que em nenhuma outra língua onde esse ditado existe há a versão de “vaiar”, inclusive em Italiano, que falo fluentemente. Mas em todas elas, a expressão se refere a “ir” a Roma. Isso é coisa de lusofalante que achou o som parecido e inventou essa história espalhando inclusive que era do Prof. Pasquale para dar credibilidade, coisa que ele mesmo já negou (e quem diz que ouviu dele, está MENTINDO).

      13. Cezar disse:

        Fiz uma pequena pesquisa e transcrevi de um site para que vcs possam fazer fazer a análise. Para mim o correto é: Quem tem boca VAI a Roma!!!
        “A consulente começa por afirmar que a conhecida sentença «Quem tem boca vai a Roma» está incorrecta e que a frase correcta seria «Quem tem boca vaia Roma». Depois, pede a explicação da última frase.

        A minha resposta vai, assim, conter um comentário sobre a eventual “correcção” das frases e a respectiva explicação.

        Quanto à “correcção”, é óbvio que ambas as frases estão correctas. Agora, qual é a frase original? Os dados que tenho apontam no sentido de a frase original ser «Quem tem boca vai a Roma».

        Desconheço em que é que a consulente se fundamenta para dizer que é a outra.

        Considero que a primeira frase deverá ser a original por cinco motivos, que passo a enunciar.

        1. É assim que ela está registada em obras de referência como, por exemplo, o Dicionário de Máximas, Adágios e Provérbios, de Jayme Rebelo Hespanha (1936), a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira (1948), o Grande Dicionário da Língua Portuguesa de António de Morais Silva (1949 a 1959), o Livro dos Provérbios Portugueses, da Editorial Presença (1999), o Dicionário de Provérbios, Adágios, Ditados, Máximas, Aforismos e Frases Feitas, da Porto Editora (2000).

        2. Este provérbio tem variantes, o que demonstra a vitalidade da ideia aí defendida: «Quem tem língua vai a Roma»; «Quem língua tem a Roma vai e de Roma vem»; «Quem tem língua a Roma vai e vem».

        3. Roma entrou no adagiário por causa da sua importância, do seu valor, do seu mérito, e não por aspectos negativos: «Roma locuta est» (= «Roma falou»: se Roma falou, o que ela disse deve ser seguido pelos católicos); «Roma locuta, causa finita» (= «Roma falou, a causa acabou»); «Roma e Pavia não se fizeram num dia»; «Em Roma, sê romano»; «Todos os caminhos vão dar a Roma», «O que vai aqui não vai em Roma».

        4. A frase «Quem tem boca vai a Roma» traduz a notoriedade da Cidade Eterna, mas também a verdade de que quem sabe perguntar consegue chegar seja onde for (literal e figuradamente), consegue obter os conhecimentos de que precisa para se orientar. As palavras-chave aqui são três: boca, vai e Roma. A boca significa a capacidade de falar, de perguntar, de comunicar; o verbo ir tem que ver com o percurso, a caminhada, significando passar de um lugar a outro, deslocar-se, mas também evoluir, progredir; Roma fora, aquando do Império Romano, a capital, a cidade mais importante do mundo conhecido dos europeus, mas uma cidade que ficava longe, sob o ponto de vista dos mais remotos territórios que constituíam o vasto império, e, por outro lado, esta é a cidade cabeça da Igreja Católica, traduz a própria Igreja, o seu governo, o papado, significando para os católicos o que de melhor existe e que se procura alcançar. Chegar a Roma poderá ser difícil, mas quem tem a capacidade de falar ultrapassará os obstáculos e alcançará o que pretende: conseguirá chegar longe, até conseguirá chegar a Roma.

        5. Há mais de cinco décadas que oiço a frase «Quem tem boca vai a Roma» a propósito de diversas situações do dia-a-dia, mas nunca ouvi a frase «Quem tem boca vaia Roma», que, aliás, não tem qualquer valor como máxima, como sentença para orientação da vida das pessoas, que é o que acontece com a generalidade dos provérbios.

        Quanto à explicação da segunda frase, são também três as palavras-chave: boca, vaia e Roma. De boca e de Roma já se falou; quanto a vaiar, significa apupar, insultar, manifestar desaprovação ou desagrado por meio de assobios ou de insultos. Esta frase quereria então dizer que quem sabe falar insulta o poder, ou seja, que o indivíduo que domina a palavra, porque a domina, insulta o símbolo do poder ou da Igreja. Ora, uma frase destas não corresponde ao que é consensualmente aceite na tradição popular portuguesa.
        M.R.M.R. :: 27/07/2007

      14. Betinha disse:

        vc tem toda a razão, Rafael! Inclusive vi o Pasquale na TV dizendo, ele mesmo, q coisas como “cuspido e escarrado” ecistem em várias línguas. Isso aí é bobagem de trocadilhista monoglota! “He is his the spit image of his father”, ou “the spitten imagem of his father”, são ditos comuns em inglês, tb!

      15. Concordo! Outra burrice e dizer que imagem escarrada e, na verdade, “em mármore de carrara”! Quem nao conhece a expressão inglesa “he is the spit image of his father”? E aí, onde fica a ginastica mental para falar do mármore de carrara??? Escarrar e algo tão condenavel que precise ser censurado a ponto de se inventar uma história em torno de um ditado que existe em varias línguas? Irene

    2. Vamos mudar outros ditos populares:
      Não deixe para daqui a pouco o que você pode fazer agora.
      água mole em pedra dura tanto bate até que a água acaba e se impirutiz (Mussum)

    3. vitoria disse:

      n vaz sentido nada nisso e eu tenho um trabalho q tem q bota 39 desses ditados cara

  2. luis felipe disse:

    putz !! eu ri muito ..
    :O eu juro q nunk tinha entendido o “quem n tem cao caça com gato” !!
    agora tudo faz sentido.

    + a melhor é Cuspido e escarrado … auhauhauhauha ja usei todos esses ditos muito e nem tinha ideia de q estavam errados ..

    principal o de roma ..

  3. @hergonn disse:

    LOL

    Vo começar a corrigir td mundo agora

    xD

  4. Poton disse:

    Eu nunca imaginei que essas coisas eram desse jeito.

    Mto bom.
    Na verdade o de Roma “QUEM TEM BOCA VAIA ROMA” é facilmente compreendido mas todos nos usamos de forma errada entao.

    Mto bom, gostei de saber disso.

  5. Jauro disse:

    Não me levem a mal… mas isso não tem embasamento nenhum.
    Aliás, as “correções” são muito menos lógicas do que os ditos populares considerados “errados” na ótica do “corretor”.
    Exemplo: Se a batatinha “espalha a rama pelo chão”, por que está errado dizer que ela “esparrama pelo chão”? Ora, esparrama a rama… então que seja.
    Outra que é muito mais lógica: Quem não tem cão, caça COM gato. Ou seja, com o que estiver à mão.
    Em tempos de internet, em que “guaraná mata”… “não encaminhar mensagens pode trazer infortúnios de toda ordem” e outras baboseiras… não me admira que alguém inventaria fantasias sobre isso também. Aliás, questiono, inclusive, a autoria das “correções”. o Prof. Pasquale não assinou isso… pelo menos até me provem o contrário. E, se assinou, tenho o direito de discordar dele. Pergunto-lhes novamente: ONDE ESTÁ O EMBASAMENTO DISSO?

    1. Ana Maria disse:

      r. Jauro, quanto à “batatinha quando nasce espalha a rama pelo chão” é porque a batata esta embaixo da terra, o que está esparramado pelo chão, são as folhas. Quanto ao “quaem não tem cão, caça como um gato” ou seja sozinho, o sr. mesmo acrescentou “com o que estiver à mão” e se não tiver nada á mão? vai caçar sozinho, ou seja, como um gato! Ponto para o prof. Pasquale, meu ídolo.

    2. Rodrigo disse:

      desculpa mas qual o embasamento do seu nome? é Jairo mais Mauro? vc pensa que tudo tem que ter embasamento? vc acha que tem sentido a frase “cuspido e escarrado?” fala sério…quanto a autoria concordo com vc, não acho que seja desse professor sei lá o que, até porque ele deve ter mais o que fazer, mas independente do embasamento faz muito mais sentido do que o original.

    3. Zeck disse:

      Caro Ja(rra-de-O)uro, pergunte-se na sua sacra sabedoria, qtas cousas ousaram surgir no mundo antes q a sua santa pessoa pudesse nos conceder a graça deste convívio tão ilustre ?! é isso aí. Aquilo do qual vc não obtém resposta não quer dizer necessariamente q seja inventado ou esteja errado. É a vida.

      1. Letícia disse:

        adorei …muito bom!

      2. Mõnica disse:

        Não é?
        Cada coisa que a gente vê!

    4. Fernanda disse:

      Acho que já deixaram bem explicado o “espalha rama pelo chão”, quanto ao “quem não tem cão caça como gato”, não faria o menor sentido COM gato, afinal seria quase impossível você caçar COM um gato, já que ele não obedece ordens de caça como um cão, entretanto também é um ótimo caçador, mas faz isso sozinho e pra si. Ou seja quem não tem alguém para fazer algo pra si, faz sozinho. Quanto ao embasamento deixe de ser tolo, essas frases são ditos, eu posso fazer publicações utilizando-as como quiser, seria muito díficil relatar com precisão a orogem destes ditos, mas utilizando a lógica e a razão a maioria das correções (que já são bem velhas) fazem mais sentido, principalmente o escupido em carrara que esta evidente.

    5. Mõnica disse:

      O embasamento está na cultura de quem lê e estuda a linguistica. Isso não é de hoje, quando surgiram essas expressões ela tinham um verdadeiro significado, mas como a linguagem tem uma tendência a evoluir e mudar, ainda mais no Brasil onde temos vários sotaques diferentes, as expressões foram mudando de som e assim tomando um sentido diferente do original.

  6. ricardo disse:

    hum… batatinha, quando vc diz batatinha, está se referindo a batata inglesa, e esta, não é uma raiz Sr. Professor, e sim um caule, a batata qual consumimos a raiz, é a batata-doce. :P . Abraço!

    1. Ana Maria disse:

      Triste comentário: dizer que batatinha é caule, e a que batata doce é raíz, duvide se ele conhece batata!rsrsrsrs

      1. Zeck disse:

        Minha nossa! batata é um tubérculo! até wikipedia explica o q é um caule ou uma raiz! q festival de asneira!

      2. ana disse:

        batatinha é um caule sim, caule subterraneo ou tuberculo, mesma coisa! e batata doce é raiz , como a mandioca, o inhame..

      3. Angela disse:

        A Ana esta certa. Eh um caule. E essa eh a definição de tuberculo.

    2. Ricardo SC disse:

      A batatinha é um tubérculo, e tem origem no Perú, levada p/ Europa pelos colonizadores espanhois…(que chama até hj de ‘papa’, no mesmo mesmo significado q na língua quíchua)

  7. Eduardo disse:

    putz! que chatisse, sou muito mais os ditados como são atualmente!
    MALAAAAA!!!!!

  8. Warley disse:

    aaa da batatinha eu falava certo, ja o resto… :mrgreen:

  9. sergio disse:

    nossa, nao sabia nem metade disso ;x
    legal msm… kaoskaskaks :o

  10. Alexandre disse:

    Dito 5 não seria: “Esculpido e encarnado” :?: :?: :?:

  11. Thiago Felipe disse:

    Caro amigo, muito legal este post. Uma observação apenas: “Cuspido e escarrado” tem como versão correta, segundo o que conhecia, “Esculpido e encarnado”, para dizer que duas pessoas/coisas são o mesmo.
    Abraço

  12. Ana disse:

    Bah. achei o post digno mas queria saber se os “corretos” são verdadeiros mesmo :D

    Parabéns pelo blog

  13. Pedro Carvalho disse:

    Olá, desculpa mas dizer “Quem tem boca vai a Roma” é o dito popular original. Pois significa que quem tem vontade, atitude e age esse sim vai a roma, esse ditado é antigo, porque ir para roma era difícil, e outra coisa difícil era protestar, como ter coragem de fazer algo. Entendem? mas também existe o “Quem tem boca vaia roma”.
    Abraços.

    1. Ana Maria disse:

      àquela época, era difícil ir à qualquer lugar, o que se diz “vaia Roma” é que Roma era considerada o centro do mundo e fazia o que queria com o resto. Quando surgiu uma rebelião para vaiar Roma. Dai o ditado “quem tem boca vaia Roma”, não pelo grau de dificuldade de se chegar lá.

      1. analfabeto disse:

        isso nao da o menor sentido ao ditado,a propaganda e a alma do negocio,quem e comunicativo chega em qualquer lugar, e isso que o dito quer dizer,e nao defamar uma nacao…

      2. Duff disse:

        Na verdade, chegar a Roma não era nada difícil, pois como era um centro mercantil, os romanos usavam técnicas de engenharia para construção de estradas que ligassem à cidade. Enquanto, ao mesmo tempo, Roma era vaiada por seu poder centralizador, até o ponto de ser incendiada.

    2. Serpa disse:

      está equivocado amigo, aplicar o “ir” é uma adaptação da frase aceitável más não original. Observem que “ir a Roma” não se aplica como referencia de distancia, pois depende de onde você se encontra em relação a Roma, considerando que a frese neste sentido de ir, é dita até em cidades vizinhas a própria Roma. O termo correto é de fato “vaia” propondo insatisfação ao forma de domínio daquele império. Abraços.

  14. Anderson disse:

    Na verdade batata é caule e não raiz…

    1. analfabeto disse:

      umh muito bem,entao quer dizer que a batata fica para cima e a folha enterrado,seu ignorante.

      1. M. Fernanda disse:

        Seu ignorante??? Gente por favor!
        Leiam, estudem um pouco!
        Aula de biologia pra vocês…
        Batata inglesa é um caule tuberculo (com reserva nutritiva) e subterraneo.
        Do mesmo jeito que existem raizes aéreas!

  15. skill disse:

    quante besteira. quem tem boca vaia roma?
    aff
    de onte tu tirou isso? se for verdade mesmo esse pasquale nao passa de um ignorante, e mais ignorante ainda e quem leva isso em consideração

    1. Ernesto disse:

      Meu filho ,não fale uma besteira dessa,pois sou professor de português tambem,e o que aconteceu,foram as falas das pessoas mais velha,q pouco entendiam e falavam errado,e isso se espalhou pelo mundo afora,e voce sabe caiu no ouvido do povo começa a fazer parte do vocabulária pobre desse povo brasileiro e sem conhecimento assim como voce,procure estudar e pesquisar mais sobre a origem de nossa língua portuguesa um abraço e me desculpe a sinceridade.

      1. wanderley disse:

        “começa a fazer parte do vocabulária pobre desse povo brasileiro e sem conhecimento” PROFESSOR DE PORTUGUÊS? QUE PIADA! ACASO NÃO SABES QUE TODO IDIOMA É ALGO VIVO QUE TENDE A MUDAR/EVOLUIR? EU TENHO VERGONHA DE PROFESSORES IGUAIS A VOCÊ!
        PARA VOCÊ ENTENDER QUE UM IDIOMA TEM VIDA PRÓPRIA TALVEZ SEJA PRECISO VOCÊ ESTUDAR OUTRO IDIOMA. SUGIRO QUE VOCÊ COMPARE O INGLÊS FALADO HOJE COM O DE 15 ANOS ATRÁS E VOCÊ VERÁ QUE CADA MUDANÇA NO ESTILO DE VIDA DA SOCIEDADE GERA UMA MUDANÇA EM SUA FALA.
        Você sugere ao “Skill” que estude a origem da nossa língua, mas por que você não faz isso antes de sair dando indicações.
        Se o nosso idioma veio do latim vulgar e hoje é um grandioso idioma, da mesma forma um dito destorcido, mas usado na ocasião correta, que mal há nisso. Todavia, sendo verdadeiras ou não estas explicações, vale a pena analisar e questionar para só então chegar a uma conclusão. Vale lembrar que o Prof. Pasquale é profissional. o que não sei é se foi realmente ele que disse tais coisas.
        Abraço e desculpe a sinceridade

      2. Ricardo SC disse:

        Vc ñ acha meio escatológico (irracional), cuspido e escarrado…isso tá mais para proliferação de doenças, que dito popular.rs

  16. Eric disse:

    Acho que o mesmo cara que ameaçou o “copia meu filho” ameaçou o copicola. Tenso…

  17. thiago_rt disse:

    @Jauro

    Entre vc e o Prof. Pasquale, eu prefiro acreditar no segundo. Larga de falar merda.

  18. Danyellen disse:

    :o OPAKSPOKSAPOKSASAK

    O que eu mais uso é o Cuspido e Escarrado

    POAKSPOKASPOKASPOKASPOSAK

    #gaaafe

  19. ADILSON disse:

    O correto é: ‘Esculpido em Carrara.’ (Carrara é um tipo de mármore) -

    CARRARA É UMA COMUNIDADE NA ITALIA,NA REGIAO DE TOSCANA, NAOÉ UM TIPO DE MARMORE, NESTA REGIAO HA VARIS JAZIDAS DE MARMORE.

    PEQUISE MAIS

  20. fk disse:

    Quem tem boca vaia roma pq na época em que foi criado, roma vivia uma “crise”. O ditado é de lá, dessa época, quando se vaiava o país. E prof. Pasquale trabalha na globo, o editor do post usou o nome dele como brincadeira. Capiche?

  21. murilo disse:

    cara vc acabou com o meu mundinho!!!

  22. pasquale disse:

    Só faltou ser verdade! Leiam em http://wp.clicrbs.com.br/sualingua/2009/04/30/nas-coxas/ e verão que metade do que está aí é mentira, a outra metade provavelmente também é.

  23. lua disse:

    Então, na verdade não foi o Prof. Pasquale que escreveu isso. ;D
    Em tempos de internet, tudo é falsificável: http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u509013.shtml

  24. Paulinha disse:

    :D :D
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    eu rii MUUUUUITO , MUUUITO
    decepcionei comigo mesma, nunca falei nenhum certo pq agnt fala o que custumamos a ouvir né, puuuts
    estou absmada ! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKk

    mijei de riir !

    1. Ana Maria disse:

      Paulinha, vc riu muito e eu também; é tanto erro de português que quase não consegui entender o que você quis dizer: custumanos, horrível! absmada, terrível! e, o último comentário não é dígno de ser comentado!..

  25. Robson disse:

    Eu não sei as outras, mas “cor de burro quando foge” e o “bicho-carpinteiro” estão certas…

    “Cor de Burro Quando Foge” foi explicada na revista “mundo estranho” e o “bicho carpinteiro” é uma expressão usada no Brasil e em Portugal desde o século XVIII, e que pode ser sinônimo de “oxiúro” (o verme) ou “escaravelho” (da Múmia)

  26. adval disse:

    UMA PEQUENA CORREÇAO “ESCULPIDO E ENCARNADO” E “NAO ESCULPIDO EM CARRARA” POIS O CARRARA É TAO DURO QUE NAO TEM COMO ESCULPI-LO SEM QUEBRAR. E ESSE DITO É PORTUGUES DO SECULO 17

  27. Eduardo disse:

    O Jauro está certo e o Pasquale acima citou um link que explica tudo. Quem fizer questão de ficar nessa masturbação mental, delirando por haver “descoberto a roda”, não leia. Mas para quem prima apenas pela verdade, eis o antídoto:
    http://wp.clicrbs.com.br/sualingua/2009/04/30/nas-coxas/

  28. vitor disse:

    pro cara que disse ali emcima que não tem base isso, o pasquale tem um programa na tv cultura onde fala exatamente sobre a lingua portuguesa, e como tudo que foi escrito aqui nesse post ele falou as mesmas coisas lá. então corretissimo o post :)

  29. Fabiane disse:

    Definitivamente não foi Prof. Pasquale que escreveu sobre os ditos populares e deixou um comentário:

    “Entre outros “ensinamentos”, um Pasquale farsante explica na internet que “Quem tem boca vaia Roma”, com o verbo vaiar, seria a formulação correta do ditado popular. “Eu nunca escrevi isso, não tenho nada a ver com isso. É uma bobagem monumental”, afirma Pasquale, o verdadeiro. ” (Pasquale 25/02/2009 fonte:
    http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u509013.shtml)

  30. Luiz disse:

    Estou intrigado, pois am Rede Globo começou a falar, há algum tempo, sobre o hexa campeonato, porém tenho uma dúvida: o correto é pronunciar a palavra hexa com o X tendo o som quiça, ou quissa, ou como se pronuncia a palavra hexagonal, onde a letra X tem tem o som da letra Z?
    A Rede Globo, como o Estadão, tem seu próprio dicionário, como sabemos, sendo que é comum escutarmos seus jornalistas dizerem Infarte, quando o correto é Infarto, e demais baboseiras.

  31. caroll disse:

    Aff’s nem sabia cada coisa eu nem sabia que era assim,naum tinha sentido, vo corrigi eu e os outros !! kkkkkkkk :) :twisted: :oops: :? 8O :o :( :D :-) 8) :x :oops: :P :roll: :!: :?: :mrgreen: :mrgreen:

  32. andrea disse:

    simplismente adoreiiiiiiiii esse prof é show de bola :D

    1. Ana Maria disse:

      Andrea, muito bom saber que gostou do prof. show Pasquale Cipro Neto, então procure ler bastante e acompanhar o prof. show, simplesmente, assim, você vai aprender.
      Felicidades e boa leitura!!!!

  33. Elison disse:

    Gostei muito…divertido!!!

  34. Fernanda disse:

    Muuuuito hilário!
    Ri litros agora…
    kkkkkkkkkkkkkkk

  35. Tiago disse:

    O próprio Prof. Pasquale já escreveu à Folha de S. Paulo negando a autoria deste texto, que é falso e não tem nenhum embasamento lingüístico.

  36. adriani disse:

    Cara isso é pior do que saber que papai noel não existe…
    Acabaram com toda a minha vida.
    Será que meu nome é mesmo Adriani ???
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  37. Daniel disse:

    Pasquale nunca escreveu isso, gente!! Esse texto é falso!

  38. Sérgio d'Luna disse:

    “Esculpido em Carrara”? Não mesmo. Carrara na verdade é uma região da Itália de onde o mármore era retirado, não diferente dos de outras regiões. A expressão, portanto, não carrega nenhum significado importante. No caso de “esculpido e escarnado (tornado carne)” denotaria apenas algum estado de perfeição, assim como Michelângelo disse “Parla!” ao finalizar a escultura de Moisés. A expressão “cuspido e escarrado” existe sim, na forma em que foi concebida com o significado de semelhança. Veja:
    http://recantodasletras.uol.com.br/ensaios/169816

  39. Apolo disse:

    Concordo com Juro Disse; as correções estão menos logicas do que o dito popular:
    O que tem a ver escupido em carrara com parecer com o outro?
    Não seria mais pratico dizer escarrado e cuspido, ja que cuspir e escarrar são quase a mesma coisa, ou então dizer: encarnado e esculpido, já que encarnar quer dizer modelar em massa ou cerâmica e esculpir e talhar na rocha ou na madeira?

    1. Desirée disse:

      Esculpir em carrara pode ser fazer uma escultura de uma pessoa, reproduzir a imagem dela, sendo assim semelhante à pessoa. Tem muito mais nexo a pessoa ser parecida por ser uma reprodução da outra do que por cuspir e escarrar serem sinônimos.Não?

      E carrara além de ser um lugar da Itália, é uma espécie de marfim, vá no google imagens e escreva: marmore carrara ;)

      1. Desirée disse:

        Escrevi MARFIM destraidamente, quis dizer MARMORE. não sei de onde tirei isso =X

  40. Fernanda disse:

    Na revista Língua saiu falando exatamente o contrário! Isso q o Pasquale disse não tem embasamento nenhum!

  41. Marcio disse:

    Esse texto é spam da internet… ele nunca escreveu isso… basta conhecer o ditado Italiano “Lingua in bocca a Roma si va” Não é o verbo vaiar…

  42. Pesca a truta disse:

    Nego, para ferrar de vez, “Vá dizer que você…” e não “Vai dizer…”

  43. alex disse:

    Melhor é conhenher mais um pouco.Valeu Pasquale

  44. Bishock disse:

    nunca iria imaginar uma coisa dessas D:
    aliás eu só entendia a de roma =/

  45. Paulo Camelo disse:

    1 – Eu quero chegar a algum lugar, e o que tenho que fazer é perguntar aqui e acolá. Aí vem um engraçado e diz que “quem tem boca vaia Roma”. Sim… Eu cheguei ao lugar que queria?

    Esparramar é o mesmo que espalhar a rama. Por que essa polêmica desgastante?

    Eu preciso definir uma cor, e não sei. Então digo: corro de burro quando foge. É boa a resposta? Ora, se o burro fugiu, eu não posso definir sua cor. Entendeu?

    Quanto ao resto… pode ser.

  46. Aécio disse:

    Era fácil,

    Dizia,

    Burro é um pseudônimo de inculto.

    Fugido por que tentou dar uma de espertalhão e foi humilhado.

    Logicamente a cor é a ROXA. ]]

    kkkkkkkkkkk!!!

    A compreensão de Pasquale foi equivocada.

    Na verdade escutava a anos a sua compreensão por causa de meus avós.

    Só nisso ai que o Pasquale se enganou.

  47. Fernanda disse:

    Olha gente, quando aquela reportagem do clic RBS, no jornal ZH (Zero Hora) de 2007 é bem duvidosa ok? Moro em Floripa aonde esse jornal circula, é um jornalzinho BEM POPULAR diário, bem simples e barato, justamente pela falta de complexidade não deve ter grandes pesquisas para sua publicação, especialmente a 4 anos atrás. Consequentemente várias matérias devem ser extraídas sem muita caltela. Pra quem disse que essas correções não têm embasamento, essa repotagem também não tem. A verdade é que cada um vai levar em consideração o que quiser, pois não existem normas para provérbios. Mas eu particularmente acho que certas correções são indiscultiveis, se você sabe como um gato aje, o que é uma batata, e o que são mármores de carrara vai concordar com as correções, já que as anteriores estão lógicamente erradas. Mas é bom lembrar que sempre introduzimos sentido as coisas, mesmo quando estão erradas queremos dar uma moral para a história, então por mais errado que o proverbio estiver sempre vai ter alguém pra achar sentido.

  48. Matheus disse:

    A expressão “a imagem cuspida do pai (ou outro parente)” existe no inglês, francês e até norueguês. E vem de cuspe mesmo. A falsa idéia de que a expressão é uma corruptela de “esculpido e encarnado” ou de “esculpido em carrara” vem do século XVII. Há um ótimo texto com mais detalhes em http://recantodasletras.com.br/ensaios/169816

  49. erick disse:

    tem tbem akele dito : devagar com a dor q o santo é de barro. que o certo é: devagar com o andor (tabua onde é carregado o santo) que o santo é de barro.

  50. Rosa disse:

    Eu gostaria de saber muito a origem de quem tem boca vaia Roma, e se o verbo vaiar existia em latim… de qualquer modo, outro ditado popular “matar dois coelhos com uma cajadada” prefiro a versão + popular com uma caixa d’agua, que, além de possível, pode ser mais limpo (dó dos coelhinhos, crianças nao façam isso em casa!!!)

  51. jairanes disse:

    mt boa esta correção, eu não conseguia entender quase nenhum a não ser o de roma pois pensava que que nao tivesse vergonha de perguntar o caminho poderia ir a qualquer lugar

  52. Graciano disse:

    Também acho que o prof Pasquale perdeu uma exelente oportunidade de ficar calado. Quem tem boca vai a Roma, e quem muito fala dá bom dia a cavalo.

    Tem mais: prefiro a versão que diz que cuspido e escarrado vem de esculpido e encarnado. Primeiro porque a dificuldade de se pronunciar essas duas palavras já explica a corruptela em si; segundo pela historia do escultor que cinzela o joelho de sua obra prima, pedindo-lhe que fale; e terceiro pela referencia implícita à bíblia, pois o homem em si, conforme o gênesis, foi esculpido pelo criador, que depois lhe sopra as ventas, dando-lhe anima. Esculpido e encarnado, como ato proposital e obra de arte, perfeito, igual.

  53. Eu já ouvi falar também “Esculpido e encarnado” o que faz todo sentido já que o menino é parecido mas tem vida né…

  54. God. Não sei o que vocês têm na cabeça, porém, como alguém de 16 anos pode lê-los e ainda sentir-se decepcionado?

  55. Z.P.D disse:

    vc é um animal pasquele otariooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  56. Beth disse:

    Foi o prof. Pasquale mesmo quem escreveu isso? Tem um erro em um dos “porquês”. De onde isso foi tirado? De algum site dele? De livro? De coluna de jornal? Gostaria de saber a fonte.

    1. Beth disse:

      Por um simples erro pega-se o impostor…

  57. Beth disse:

    Nem precisam responder. Já li comentários acima negando a autoria do Pasquale.

  58. perseutlc disse:

    Descobri que eu não o único doido a gostar de brincar com as palavras e expressões da nossa (desculpem) língua pátria. Recebi mais de trinta cartas depois que me declarei ignorante sobre a expressão “cuspido e escarrado”.

    Agora, depois da crônica “Isso para mim é grego”, choveram (!) cartas de leitores com sugestões e dúvidas outras. Não sou de responder cartas, mas essas duas merecem a atenção minha e de vocês. Senão, vejamos:

    J.A.P. Dupas, da Vila Mariana, com estilo masculino e letrinha de moça me escreve que “finalmente encontro quem tenha interesse em conhecer o sentido das palavras e expressões usuais cujo significado nos foge. Sinto-me desconfortável ante frase como:

    – Inteligente pra burro!

    – Metido a sebo.

    – Fechar-se em copas.

    – Co’a breca!

    – Um homem é um homem, um bicho é um bicho.

    – Pombas!

    – Coversinha de cerca lourenço.

    – Comigo não, violão.

    – Lá se foi tudo que Marta fiou.

    – Meia dúzia de gatos pingados.

    – Chorar as pitangas.

    – Tirar de letra.

    – Louco de pedra.

    – Enganei um bobo, na casca do ovo.

    – É sopa no mel”

    Já a tia do meu amigo e fotógrafo Helio Campos Mello me telefona para explicar que o Bairro do Realengo, no Rio de Janeiro, tem esse nome porque, na verdade, o bairro se chamava Bairro do Real Engenheiro Fulano de tal. E, nos ônibus, vinha escrito: Bairro do Real Engo (abreviatura de engenheiro). Pegou? E explica também a expressão dita para as crianças: ” vai ficar com bicho carpinteiro”. Na verdade, eram as mães preocupadas com as crianças brincando na terra que diziam, “vai ficar com bicho no corpo inteiro”.

    Isso é que é “cartear marra”. Não “tem per-repis”.

    Outro leitor, Dorival Alves José, também aqui de São Paulo, me explica a origem de algumas palavras, aprendidas com seu mestre Geraldo Magela de Mello Santos, professor de matemática que ele teve em 1949:

    CADAVER – Das primeiras sílabas da expressáo latina “Caro Data Vermibus (carne dada as vermes).

    LARÁPIO – Um Juiz romano, da era do império, sempre dava ganho de causas àquele que o favorecia com os melhores presentes. Tal Juiz, cujo nome era Lucius Aulicus Rufilus Appius, assinava as suas injustas sentenças abreviadamente, assim: L.A.R.Appius, ou seja, Larappius.

    CARNAVAL – Às vésperas das festas de Momo, em 1950, o vigário de Campo Belo (MG), Pe. João Vieira, fez um sermão inflamado para uma Igreja repleta de fiéis. Afirmou que a palavra carnaval vinha, sem dúvida, do termo carne. Carne, no sentido de sensualidade, volúpia, lubricidade, lascívia; carne, como fonte de concupiscência, raiz de todos os males, etc.

    Quando o Padre João (assisti a tudo, pois eu era coroinha) entrou na sacristia, lá estava, circunspecto, o professor Magela de dedo em riste (?), num ataque direto e fulminante ao pobre padre. “Como o senhor ousa enganar os seus paroquianos? Mentido-lhes como o fez, o senhor é quem comete pecados! Sabemos, V. Revma e eu, que a palavra carnaval é uma corruptela da expressão “Currus navalis”. Virou-se e saiu bruscamente, deixando o padre apalermado e sem sequer esboçar um único gesto.

    Corri atrás do mestre para saber o que significava o tal “currus navalis”. Sua explicação:

    – “Na antiga Roma (sempre Roma e o Latim) os construtores de barcos (o carro do mar, ou carro naval, isto é, currus navalis) trabalhavam em sua fabricação de abril a janeiro e, nos meses de fevereiro e março, organizavam as festas de lançamento dos barcos ao mar. O currus navalis era todo enfeitado e levado por terra, sobre rodas, até a água por uma multidão que cantava, bebia vinho e comemorava o fato numa verdadeira festa dionisíaca de que todos participavam”.

    Quanto ao velho “cuspido e escarrado”, metade das cartas garante que a expressão vem mesmo de “esculpido e encarnado”. Mas há uma outra metade que afirma, categoricamente, que vem de “esculpido em carrara”.

    E eu, bem, “eu não estou nem aí”. “Nem que a vaca tussa”, “entrarei pelo cano”.

  59. anaa disse:

    pois aqui no ceara a gente nao fala nem “cuspido e escarrado” e nem “esculpido e encarnado”. tampouco “esculpido em Carrara”. Falamos: Esse menino é “cagado e cuspido” o pai.
    hahahaha
    vai saber pq…

  60. rodrigo disse:

    http://www.ciberduvidas.pt/pergunta.php?id=21315

    pra quem tem duvidas sobre o vaia roma…

    é mentira esse post, desde 1939 só existem registros da versão “vai a roma”

  61. professor pasquale o que significa o ditado do texto todas as cores mande a resposta agora

  62. Juliano disse:

    (tu.bér.cu.lo)

    sm.
    1 Bot. Caule freq. subterrâneo, alongado ou arredondado, de grande valor nutritivo, que apresenta escamas e gemas que podem gerar novas plantas, como, p. ex., a batata. [Os tubérculos desenvolvem-se nas raízes, nos rizomas ou nos ramos subterrâneos de certas plantas.]

  63. Erich disse:

    O português é uma bosta! Dito popular pior ainda, nada que seja popular pode ser bom! Se divirtam discutindo aê, adoro rir! KKKKK

  64. Primeiramente gostaria de agradecer a todos, pois faz muito tempo que não ria tanto (rs)! Não se preocupem não tenho a intenção de esclarecer nada, na verdade, pois o que move o mundo são as perguntas e não as respostas.

    Se algo é popular o que importa se de fato está certo ou errado? Se estiver incorreto deixará de ser popular?

    Regards.

  65. sales disse:

    nota 10. Eu fui levar o gato da minha vó parra caçar e voltei sem o mesmo. resultado 1 X 0 onça

  66. sales disse:

    fui levar o gato da minha vó para caçar, voltei sem o mesmo. resultado 1 X 0 onça